Na mídia

Nutricionista Daniel Cady defende alimentação baseada em príncípios mais naturais

16/02/2015

Daniel Cady, 28 anos, tem um jeito tranquilo de falar, mas convicções bem firmes. De uma família na qual o avô norte-americano pregava o cuidado com a alimentação, o pai é atleta e a mãe, médica, ele não escapou a essa herança tão ligada a hábitos saudáveis. Começou a cursar Engenharia Química, mas foi na faculdade de Nutrição que encontrou seu real caminho profissional. Casado com a cantora Ivete Sangalo, ele bateu um papo com o CORREIO sobre equilíbrio.

Qual é a sua linha de trabalho como nutricionista?

Eu trabalho com a nutrição funcional e personalizada, cada paciente é um paciente, cada individuo é um indivíduo, tem sua individualidade bioquímica. Trabalho muito com atletas e pessoas que praticam atividades esportivas – que é um universo motivador, pois tenho uma facilidade maior em entender o papel na nutrição aplicado ao esporte. Me indentifico muito com a linha da alimentação natural, mas sou um pouco mais equilibrado, não busco extremos de ser vegetariano ou macrobiótico. Tento equilibrar tudo isso.

Quais são os principais erros alimentares que as pessoas cometem?

Os principais erros estão ligados à monotonia alimentar, a comer só o que é prático, por falta de disposição em preparar seu próprio alimento. A nutrição é um autocuidado, como a escovação dos dentes. As pessoas elegem muito os alimentos pelo paladar e pela praticidade. Essa praticidade, muitas vezes, significa pular refeições, consumir alimentos de baixo valor calórico, muitos produtos à base de açúcar, farinha e sal. Três pós brancos que são venenos. Além disso, falta variedade e o consumo de produtos industrializados com muitos aditivos ainda é alto.

Você tem uma opinião formada sobre as dietas sem glúten e lactose?

Não se deve ter esse enfoque de retirar esses componentes da alimentação com o objetivo restrito de emagrecimento. Qualquer restrição alimentar precisa ser acompanhada por um nutricionista. As pessoas estão valorizando demais isso, existem indivíduos que possuem intolerância a eles, algo muito comum. A restrição de glúten e lactose só acontece para dar maior conforto ao paciente intolerante. E essas pessoas sofrem com muitos sintomas que afetam a qualidade de vida. Então, não vejo como um modismo. Não dá para defender a ideia de que lactose e glúten são ruins para todo mundo. É algo que precisa ser visto com muito critério.

Para quem ainda está curtindo o Carnaval, quais dicas de alimentação você dá?

A recomendação que dou é que, como estamos no Verão, com muito calor, que as pessoas não restrinjam muito a alimentação, porque é um período em que elas dormem menos, gastam bastante energia, consomem muita bebida alcoólica, por isso precisam fazer uma boa hidratação. E consumir muitas frutas e verduras que facilitam a desintoxicação, assim como as raízes, batata- doce, banana-da-terra, que são boas fontes de carboidratos. Beber muita água de coco é importante, assim como comer com mais frequência para ter energia. Outra dica é priorizar a alimentação em casa e não contar com a precariedade da comida de rua.

Você e Ivete lançaram o programa Body Change, voltado para o emagrecimento. Como funciona?

O Body Change fez um ano agora. Nós conhecemos o programa numa viagem, ele foi criado na Alemanha, por um casal de nutricionistas. Eles fizeram um programa virtual de emagrecimento que dura 10 semanas, composto por acompanha- mento nutricional e treinamento físico. Estudei sobre ele e, como sempre tivemos uma vontade de fazer algo juntos, isso veio a calhar. Meu trabalho foi adaptar ele à realidade brasileira. O indivíduo paga um valor e tem acesso a 12 semanas de conteúdo, sendo 10 só referentes ao programa. A cada semana, na página da pessoa, tem um vídeo mostrando como escolher os alimentos, cozinhar… Eu e a Ivetinha aparecemos fazendo as receitas, com comentários sobre o valor nutricional. Também tem vídeos com a Ivetinha malhando e mostrando exercícios, cada semana é um conteúdo diferente, e também tem um treinamento crescente de atividades físicas, que começam bem leve e chegam até treinos mais pesados.

O que qualquer pessoa pode fazer para melhorarseus hábitos?

Melhorar o sono. Quem dorme mais emagrece mais, quem dorme mais ganha mais massa muscular. Diminuir o estresse crônico. Pessoas que trabalham e se estressam demais acabam tendo seus hábitos alimentares afetados. Se movimentar mais, procurar a atividade física que dê mais prazer: nadar, pedalar, correr, não pensar que exercício se restringe apenas a academia. Só comer quando estiver com fome, tem muita gente se preocupando em comer de três em três horas, sem nem mesmo sentir fome. Ter a alimentação mais diversificada possível, à base de verduras, frutas e carnes magras. Sem grandes restrições. A palavra de ordem é o equilíbrio. Buscando o equilíbrio, você chega mais próximo de uma dieta saudável.

 

Fonte: http://www.correio24horas.com.br/detalhe/noticia/nutricionista-daniel-cady-defende-alimentacao-baseada-em-principios-mais-naturais/?cHash=bb21e251fee3c71e472b6846a740131c

Compartilhe G+
<